TransmutAção

Natura apresenta “TransmutAção”, novo disco de BNegão & Seletores de Frequência

Àgò, a palavra que abre o álbum e dá nome à primeira faixa de TransmutAção (Natura Musical), pede permissão e licença para passar, ao som dos tambores de Alexandre Garnizé. Chegou o momento em que BNegão & Seletores de Frequência disparam suas novas visões e sonoridades em mais um capítulo da sua história dentro da música negra universal.

Este terceiro disco da carreira do grupo, vem cheio de força na retórica e apresenta o resultado das novas alquimias sonoras dos Seletores de Frequência. “Dias da Serpente”, um dub turbinado pela percussão de terreiro anuncia: “dias luminosos virão, dias trevosos estão”. Prepare-se para a descarga sonora que está por vir.

O crossover de funk com rap (característica intrínseca ao trabalho de BNegão & Seletores de Frequência) está em “No Momento (100%)” e em “Mundo Tela”, os candidatos a hit deste trabalho.

A combinação inédita do surf rock com referências ao gênio etíope Mulatu Astatke – pai do ethio jazz e um dos maiores músicos mundiais em atividade – se chama “Surfin’ Astatke” (autoria do trompetista Pedro Selector) e faz uma passagem instrumental para as duas faixas de samba que seguem: o samba-jazz “No Amanhecer” e uma versão gafieira-fumegante de “Fita Amarela”, de Noel Rosa.

E as surpresas não param por aí. BNegão (com o auxílio do produtor Maga Bo) trouxe beats inusitados do futuro e os juntou aos ritmos e melodias ancestrais da ciranda em “No Ar”, onde a levada convida para dançar e fazer a energia circular. “Giratória” é o último petardo deste baile antes da faixa que encerra o álbum: “Nós (Ponto de Mutação)”, um dub que chama para a despressurização da mente e homenageia algumas das maiores influências (filosóficas, musicais e espirituais) do rapper, como Darcy Ribeiro, Tom Zé e Professor Hermógenes.

A ideias estão aí.

A música segue viva e pulsando, na batida da mudança: TransmutAção é a palavra-chave.

O projeto que inclui o disco, shows de lançamento e oficinas para alunos de escolas públicas, recebeu patrocínio do edital nacional do Natura Musical. “O programa está completando 10 anos e sempre buscou valorizar a diversidade de gêneros musicais, públicos e manifestações. BNegão & Seletores de Frequência reafirmam em seu novo disco a versatilidade da música brasileira e apresentam a experimentação sonora que fez a banda se destacar no cenário nacional”, afirma Fernanda Paiva, gerente de apoios e patrocínios da Natura.

BNegão & Seletores de Frequência

BNegão & Seletores de Frequência é um caldeirão de elementos sonoros prontos para causar a ebulição por onde passa.

Descrito pela revista Rolling Stone como “um coletivo de mentes criativas”, os BNSF desafiam a lógica com um set vigoroso e surpreendente, trazendo para dentro de um mesmo show ritmos como o hip-hop, funk 70, samba-jazz, afrobeat, música jamaicana, miami bass e hardcore. Ao peso do som, junte a retórica instigante, política e cheia de vibrações positivas que

BNegão tem na ponta da língua. O resultado são explosivos “Bailes de Música Negra Universal” pautados pelos discos Enxugando Gelo (2003), Sintoniza Lá (2012) e o novíssimo TransmutAção (2015).

O clipe “Essa é pra Tocar no Baile” encerrou o ciclo do Sintoniza Lá em grande estilo ao mostrar o lifestyle da cultura urbana carioca sob o olhar de Daniel Tupinambá.

BNegão & Seletores de Frequência, agora, te convidam para a TransmutAção da alma!